Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




por Menina Marota, em 12.10.17

Momentos...

Como sabe bem nestes dias calmos de Outono ainda com rasgos de Verão o sol incidir no corpo.

A brisa leve revolta os cabelos e o cheiro a algas e sal envolve.

Momentos de serenidade...

Praia Miramar

 

Solidão

 

Estás todo em ti, mar, e, todavia,
como sem ti estás, que solitário,
que distante, sempre, de ti mesmo!

 

Aberto em mil feridas, cada instante,
qual minha fronte,
tuas ondas, como os meus pensamentos,
vão e vêm, vão e vêm,
beijando-se, afastando-se,
num eterno conhecer-se,
mar, e desconhecer-se.

 

És tu e não o sabes,
pulsa-te o coração e não o sente...
Que plenitude de solidão, mar solitário!

 

Juan Ramón Jiménez,

in "Diario de Un Poeta Reciencasado"
Tradução de José Bento

 

Foto: O mar da minha praia favorita.

Autoria e outros dados (tags, etc)


3 comentários

De HD a 12.10.2017 às 21:34

Uma enorme serenidade... *_*

De Anónimo a 16.10.2017 às 13:08

"Momentos de serenidade", minha querida Amiga. Que bom! E este belíssimo poema de Juan Ramón Jiménez, um poeta que tanto admiro. 
Gostei que voltasse aqui.
Uma boa semana.
Um grande beijo.

De Graça Pires a 16.10.2017 às 13:13

Não preenchi os dados e o comentário saiu anónimo...
Beijo grande.

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor